Escolha uma Página

Os alunos do 1° ano estão passando por um processo saudável e estimulante para a aquisição do sistema de escrita.

Para que este processo se realize com a máxima competência nossas professoras estão fazendo um curso de especialização em alfabetização aqui no CED. Venho compartilhar com vocês uma das tarefas do curso: escrever memórias de alfabetização. A professora Virgínia escreveu nesta tarefa uma linda crônica sobre suas memórias que vimos aqui compartilhar com vocês.

 

Memórias de Alfabetização

 

         Memórias de alfabetização se misturam com brincadeiras na rua, andar de bicicleta, tomar sorvete de máquina e comprar pão todas as tardes e voltar da padaria comendo o miolo.

         Memórias de alfabetização se misturam com caderno de caligrafia, escrevendo o nome e a mãe apagando quando a letra não estava bonita e a tristeza de não poder ir ver televisão.

         Memórias de alfabetização se misturam com a imagem da sala de aula do pré, pintada com a história do Patinho Feio. Da amiga japonesa que não me lembro do nome. Éramos  quase vizinhas, o que nos separava era um campo de futebol, companheira de idas e vindas do Parquinho, era assim que se chamava a escola de educação infantil. Íamos e voltávamos sozinhas, caminhando pela rua, conversando, apanhando flor para a mãe, brincando com os cachorros que latiam quando passávamos muito perto dos portões.

         Memórias de alfabetização se misturam com vestido e cestinha de festa junina e visitas ao consultório dentário que havia no  Parquinho, sem medo, sem dor. Adeus aos dentes de leite e nem existia Fadas dos Dentes.

         Memórias de alfabetização se misturam com roupinhas de bonecas, feitas de crochê, feitas pelas mãozinhas de quem mal sabiam escrever.

         Memórias de alfabetização se misturam com saudade de um irmão que já partiu, cuidando quando tinha infecção de garganta. De uma irmã mais velha que brigava quando mexia nas coisas dela e de outro irmão que colocava no colo e fazia dormir. De um pai bravo, que vivia para trabalhar.

        De uma mãe, e que mãe, carinhosa, amiga e exigente. Que fazia muitas delícias, bolos, geléias, pastéis, tortas, bolinhos de chuva, mesmo sem chuva.

         Memórias de alfabetização se misturam com o ser que sou hoje.

 

E você, quais são suas memórias de alfabetização? Compartilhe aqui!

E quais memórias você espera que seu filho/aluno tenha desse tempo?

Professora Virgínia e alguns dos alunos do 1° ano da tarde