Escolha uma Página

O meio do ano é um momento em que diversos pais avaliam a possibilidade de iniciar o filho no ambiente escolar, ou trocar de escola.. Diversas escolas estão com matrículas abertas, mas será que é positivo a criança iniciar no meio do ano? O que pode dificultar e o que pode  contribuir para a criança?

Nesse texto, a coordenadora pedagógica do Centro Educacional Dominó, pedagoga e mestre em educação traz reflexões para os pais que se encontram com essa dúvida,

foto

QUANDO É A PRIMEIRA VEZ DA CRIANÇA NA ESCOLA

O mês de agosto é um mês em que recebemos diversos novos alunos na Unidade Escolar. O processo de adaptação de um novo aluno é sempre um momento muito delicado em qualquer época: difícil para a criança e para a família. A criança pode chorar, não querer ficar, mas tudo isso passa se a família manter-se segura, tiver confiança na escola e respeitar o tempo de adaptação. Em nosso blog temos uma postagem com dias especiais para esse processo.

        A dificuldade a mais que se coloca no meio do ano é que a maioria das crianças já está adaptada à rotina e os pais tendem a pensar que seu filho deveria entrar no mesmo ritmo dos demais. Contudo, é preciso conquistar a criança, respeitar seu tempo de adaptação.

Ao início do ano todos estão em adaptação e os pais conversam e tem um ao outro para se apoiarem nesse processo. No meio do ano, como a maioria está adaptada os pais precisam redobrar sua segurança na escola, conversar sempre com a professora e a coordenação pois o diálogo e a confiança farão toda a diferença nesse processo.

A vantagem é que a adaptação costuma ser mais rápida. Como a maioria das crianças está adaptada, são raros os momentos de choro na turma, o que deixa o novo aluno mais seguro no ambiente escolar.

foto

QUANDO A CRIANÇA PRECISA SER TRANSFERIDA DE ESCOLA

São diversos os motivos pelos quais os pais precisam transferir seus filhos de escola: mais proximidade à residência, mudança de cidade, questões financeiras e também por o aluno estar apresentando baixo rendimento.

Neste último caso -baixo rendimento do aluno- é preciso avaliar bastante antes de fazer a transferência, Nem sempre mudar de escola resolve a situação: converse com a professora, com a coordenação e avalie o motivo de a criança não estar atingindo os resultados esperados. É preciso procurar soluções: um acompanhamento maior do aluno, reforço, recuperação, talvez a avaliação de um profissional, enfim, apenas mudar a criança de escola pode apenas transferir o problema de lugar. Transfira somente se vocês considerarem que a escola não conseguirá mais ajudar seu filho, ou seja, que já tenha se esgotado todas as estratégias de ação da família e a criança  realmente precise de  uma outra metodologia de ensino.

foto

É muito comum a criança não querer mudar de escola. A maioria de nós apresenta dificuldades à mudança. Pense na seguinte situação: se hoje seu chefe lhe dissesse que você irá trabalhar em uma nova unidade da empresa, com uma nova equipe, certamente você ficaria inseguro e receoso, pois não sabe exatamente como vai ser. Com a criança não é diferente. Ela ficará insegura, por isso cabe à vocês pais apoiá-la e mostrar as vantagens desse processo: valorize os diferenciais que a escola tiver como aula extra ou o espaço físico. Sempre diga que ela será aceita no grupo novo, pois é uma ótima criança e que os senhores estarão sempre ali, assim como a professora, para auxiliá-la.

Mudar de amigos ou fazer mais amigos?
Deixar os vínculos que construiu na escola anterior é um processo bastante difícil para a criança. Nós precisamos de vínculos para estarmos emocionalmente estáveis. Por isso, faça todo o possível para que a criança mantenha a amizade com os amigos da escola que sairá. Se for longe, utilize as redes sociais; se for próximo, organize visitas, passeios. Mostre para a criança que ela irá ganhar mais amigos e não perder sendo transferida de escola.

Em todas as situações o mais importante é a segurança que a família irá passar para a criança.
Parece um detalhe, mas a criança sente quando os pais estão confiantes e seguros com uma decisão e assim sente-se segura também. Converse bastante com a coordenação antes de escolher a escola, busque referências, tenha certeza que aquela instituição é o ambiente correto para seu filho. Tudo fluirá melhor com a sua segurança.
Uma dica é evitar frases interrogativas para a criança: “Você quer ir à escola?” “Você vai ficar bem?” “A mamãe pode te matricular aqui?”. Quando deixamos para a criança a decisão sobre suas emoções ela sente que os pais não estão confiantes na decisão e que cabe à ela a palavra final. Deixar a criança emocionalmente estável para a mudança demanda frases positivas e confiantes: “Essa escola é muito legal! Tenho certeza que você aprenderá bastante aqui”  “Você fará ótimos novos amigos na nova escola! No começo você vai estranhar, mas logo serão melhores amigos”.

     Com confiança e segurança na escola, qualquer época do ano pode ser ótima para iniciar os estudos!